quinta-feira, 1 de dezembro de 2016

Cidade de Piranhas/Alagoas

Município localizado no Alto Sertão Alagoano com uma população estimada de 23.716 habitantes e área de 409,1 km² (53,23 h/km²) é banhado pelo rio São Francisco e reconhecida como patrimônio histórico nacional pelo IPHAN, desde 2002. Encravada entre serras, a Cidade preserva a sua memória e encanta pelo seu enquadramento geográfico. Ponto de partida para a Região dos Cânions de Xingó, ainda instiga pela sua efetiva participação na época do Cangaço. Cenário de diversas produções cinematográficas orgulha-se em receber bem e transformar a sua viagem num acontecimento inesquecível.

Piranhas fica a 280 km da capital Maceió. Faz parte da Região Caminhos do São Francisco e é tombada pelo Instituto do Patrimônio Histórico Nacional, está localizada as margens do Rio São Francisco, a cidade preserva um patrimônio histórico de estilo colonial do século 19 inicio do século 20.

 

 

 

Centro Histórico

Guarda a história marcante do Cangaço e da Estrada de Ferro Paulo Afonso por todos os lados, ao chegar à cidade podemos visitar o Museu do Sertão que através de seus acervos e vestígios relembram a época.

Também é possível visitar a orla Altemar Dutra e o Centro de Artesanato que tem uma variedade de peças da região, além de percorrer pelas ruas estreitas e vislumbrar os casarios coloridos que encantam a todos que passam pela cidade.

A história do cangaço, Virgulino Ferreira da Silva é um daqueles personagens brasileiros que até hoje deixam os estudiosos do tema descabelados com tanta informação desencontrada sobre a origem e o fim do périplo bandoleiro.

A Rota do Cangaço começa no atracadouro de Piranhas com um passeio pelo leito natural do Rio São Francisco. O cliente tem 2 opções fantástica de o Rota do Cangaço e o Eco Parque Rota do Cangaço.






 

 




O vilarejo, distrito de Piranhas, é conhecido pelo trabalho das bordadeiras de rendedê, herança artesanal passada de geração em geração.

Uma associação a Cia do Bordado de Entremontes foi fundada para estimular e preservar essa tradição. Mulheres passam o dia com agulhas, linhas e bastidores nas mãos para criar os mais lindos desenhos em jogos americanos, pano de prato, toalhinhas de bandeja e caminhos de mesa.

Um pequeno museu na Cia do Bordado abriga peças antigas da arte do rendedê. 

A parada em Entremontes além de comprinhas você poderá conhecer a casa onde se hospedou Dom Pedro I na passagem do imperador pela cidade e o pequeno museu (com objetos antigos de bordados) que fica dentro da associação, na pracinha principal.

 


Trilha que leva à Grota do Angico: 1.650 metros de caminhada.

Ao chegar à Grota do Angico lugar de difícil acesso naquela época e, por isso, considerado seguro por Lampião. O guia local conta sobre o massacre e como se deu o fim de um dos personagens mais controversos da história nacional.

Após matarem o Rei do Cangaço e parte do bando, os policiais cortaram as cabeças dos jagunços e as deixaram expostas na escadaria da prefeitura de Piranhas, dando origem a uma das fotos mais emblemáticas deste conflito brasileiro.

 

No lugar do acontecido, cruzes e uma placa com os nomes dos cangaceiros emboscados e de Adrião, o único soldado morto no confronto. Ou seja, não há nada demais ou visualmente surpreendente na trilha ou na Grota a não ser seu significado histórico.

Hotéis e Pousadas

  

 








História da cidade
http://cidades.ibge.gov.br/xtras/perfil.php?lang=&codmun=270710&search=alagoas|piranhas


Encontre nossa Agência GuiaFD no Google: https://goo.gl/maps/3y8PNUnwupw

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Sejam bem vindos